O PRINCÍPIO DA FAMILIARIDADE RELACIONADO AO VÍDEO MARKETING

Não sabemos se você já ouviu ou não falar do principio da familiaridade. Bem, ele diz que “o mero efeito de exposição, também conhecido como princípio da familiaridade, descreve um fenômeno que faz com que os seres humanos avaliem positivamente coisas com às quais estão expostos, frequente e constantemente, incluindo outras pessoas.Se tudo o resto for igual, vai comprar produtos, investir em ações, frequentar estabelecimentos e envolver-se em comportamentos que lhe são familiares, baseado na sua exposição no passado.” (Joshua Kennon). Mas o que isso tem a ver com o título desse artigo ? Bem, a gente chega lá;

Na publicidade, o princípio da familiaridade geralmente se traduz para bombardear os clientes com imagens infinitas de seus produtos e logotipos. No entanto, longe de provocar um efeito positivo, essa super saturação de informação deixa as pessoas insensíveis as mensagens contidas nos anúncios e irritadas por verem anúncios quando gostariam apenas de estar navegando na rede. Walter Chan, CEO e co-fundador da IDoneThis, escreveu  um interessante artigo em que destaca a estratégia adotada por  Kristen Craft, diretor de desenvolvimento de negócios da Wistia,para rever o princípio da familiaridade na web.

A premissa básica é,  em vez de enterrar seus clientes em pop-ups, e-mails e anúncios, o foco em vídeo – um meio com um mais impacto duradouro. O vídeo é a maneira mais eficiente para formar uma conexão humana em larga escala – você começa a fazer contato com os olhos e falar cara-a-cara com um número infinito de pessoas, sem custo adicional. Chan ainda nos enumera três estratégias para incluir o vídeo em uma estratégia de familiaridade junto aos seus clientes.

VEJA TAMBÉM ESSES ARTIGOS:  A IMPORTÂNCIA DO ROTEIRO PARA VÍDEOS EXPLICATIVOS

Seguindo a orientação de Chan, o seu vídeo não deve apenas falar com as pessoas, mas deve haver algo pra que se conectem, algo que todos sabem, pelo menos seu público alvo. Usamos como exemplo o nosso vídeo explicativo para SUNCORP, a empresa vende equipamentos de energia solar que pode ser instalada em apartamentos. O vídeo começa com “Cansado de se assustar com a conta de luz ?” – isso gera familiaridade e interesse, muitas pessoas conhecem esse problema, e continua ” não importa se você tem um pequeno negócio, mora numa casa ou apartamento…” (Você pode assistir o vídeo logo aí em baixo.)

Os vídeos também devem ter uma chamada a ação, serem um gancho que impulsionam os clientes e possíveis clientes a tomar outra atitutde, no caso da SUNCORP, a chamada a ação é a seguinte, “venha conhecer nossas soluções personalizadas pra você.” Outro recurso importante destacado no artigo é o uso do humor como recurso de aproximação. O riso libera hormônios que lhe dão uma alta natural e uma sensação de proximidade com a origem do riso.

É importante também oferecer algo de valor, uma solução para um problema, um novo conhecimento, uma maneira prática de fazer algo – tudo relacionado ao seu segmento de negócios ou aos interesses do seu público alvo. O que todas essas estratégias tem em comum é que elas não empurram o produto guela abaixo do seu consumidor. A estratégia na verdade é mostrar – e não vender. O vídeo associado a outros campos faz sua função completa, por exemplo, em um landing page o vídeo pode convencer o usuário a assinar sua newsletter, ou mesmo comprar um produto. O vídeo vai colaborar para que seu cliente ou possível cliente saiba mais sobre você, sobre seu produto ou serviço, e o melhor, ele fará isso voluntariamente.

VEJA TAMBÉM ESSES ARTIGOS:  INSPIRAÇÃO - ANIMAÇÃO JUNKYARD

Pin It on Pinterest